Bruno Starnini Junior
Diabetes tipo: 1
Santos/SP
A diabetes na minha vida:
Meu diabetes foi diagnosticado em abril/1982, então, já se vão aí 32 anos de convivência respeitosa. Encaro o diabetes como um vizinho separado por uma cerca de média altura. Conseguimos nos avistar e até nos cumprimentamos vez por outra, mas nunca a convidei para visitar a minha casa. O diabetes, em minha opinião, não pode ser íntimo do diabético. Diabético que permite a intimidade com o diabetes corre riscos. Respeito o meu diabetes. Ele me ajudou a manter a disciplina com o corpo, exercícios aeróbicos e o automonitoramento constante e descobertas pessoais e com todos que convivem comigo. E sei que o diabetes me respeita. Talvez seja essa a receita do meu sucesso na convivência com ele [o diabetes]. Diabetes é uma síndrome que tem o controle baseado no bom senso e na informação ao paciente. Leia, pesquise, converse com o diabetologista. Discuta com outros diabéticos. E, acima de tudo, viva!