«

»

out 20 2012

Existe alguma conspiração para evitar a cura do diabetes?

conspiracão

Desde o momento que se iniciou a pesquisa para a cura da diabetes, existem pessoas que acreditam que isto nunca irá acontecer, porque o tratamento desta doença é simplesmente muito lucrativo. Aqueles que acreditam nesta chamada “teoria da conspiração” estão convencidos de que as empresas farmacêuticas têm interesse em manter a existência desta doença tanto tempo quanto possível, porque vender seus tratamentos é um negócio muito mais vantajoso do que poderia ser a cura.

Nós todos sabemos que o diabetes movimenta uma indústria de bilhões de dólares, incluindo as vendas de insulina, agentes orais e injetáveis, como o Victoza, e dispositivos médicos, tais como bombas de insulina, monitores e suas tiras de testes e novos aparelhos de monitoração contínua de glicose.

O diabetes tipo 2 neste exato momento aumenta exponencialmente, e mesmo o diabetes tipo 1 está crescendo em um ritmo dramático, o que significa mais e mais consumidores. O mais recente indício sobre uma possível “conspiração”, ocorreu em agosto quando uma notícia sobre a polêmica pesquisadora Dra.Denise Faustman circulou em torno de uma comunidade de diabetes. No artigo, Faustman diz que quando ela se aproximou de empresas farmacêuticas para financiamento de sua pesquisa, foi-lhe dito que “não havia dinheiro para dar a alguém descobrir uma cura que usaria uma vacina barata, genericamente disponível”.

Mas isso é mesmo verdade? Certamente, há considerações financeiras legítimas dessas empresas em suas decisões de pesquisa e desenvolvimento de produtos. Mas isso significa que eles nunca irão trabalhar em uma pesquisa de cura? Será que realmente a indústria farmacêutica irá desprezar uma possível cura a fim de proteger seus próprios interesses – especialmente se a cura for uma simples e barata vacina? Quem vai dizer? Decidimos que seria fascinante contactar alguns especialistas de destaques na comunidade de diabetes para obter as suas perspectivas sobre a “teoria da conspiração D”.

Explorando os motivos

Kelly Close, presidente da empresa Close Concerns Consultoria em Diabetes, que analisa a indústria de diabetes há mais de uma década, diz: “Muitos se perguntam ao longo do tempo se há uma conspiração em que as empresas farmacêuticas têm “escondido” a cura de modo que eles poderiam lucrar com a insulina, tiras de medir o nível de glicose no sangue e outros suprimentos. Eu discordo. Em princípio, não há nenhuma evidência para apoiar essa afirmação.

Mais importante, qualquer empresa que encontrou a cura seria celebrada e imortalizada pela eliminação de uma doença antiga. Esse triunfo, caso descoberto, valeria muito mais em prestígio e honra do que qualquer ganho financeiro derivado desses produtos”. Kelly acrescenta: “Além disso, o diabetes é tão prevalente hoje que raro é o gerente de empresa que não conheça alguém que tenha algum tipo desta doença. Eu acho que este gerente estaria mais motivado a ajudar o amigo ou membro da família do que para adicionar mais alguns dólares a seu bônus.

Dra. Denise Faustman

De fato, no ano passado o analista sênior de investimento Sean Farhy escreveu um artigo no blog do investidor Seeking Alpha intitulado A indústria farmacêutica quer realmente tentar curar a diabetes?”  Ele compartilha 10 sólidas razões pelas quais esta indústria não pode dificultar a busca da cura para o diabetes, incluindo sua incapacidade de silenciar todo pesquisador que encontrou um caminho para a cura, os “benefícios” de reporte a outras doenças, acordos de licenciamento lucrativos e o argumento decisivo: o diabetes tipo 2 continuaria a existir mesmo com a cura para a diabetes tipo 1.

Isso porque, no fim do dia, não importa quão similar são o tipo 1 e tipo 2 de diabetes na aparência exterior, pois são fundamentalmente diferentes doenças na concepção. E se é tudo sobre os produtos, por que mesmo assim as empresas farmacêuticas apoiam algumas pesquisas para a cura, afinal? A comunidade de diabetes bem conhece organizações sem fins lucrativos como a JDRF que faz parceria com a indústria (como Sanofi) para tal pesquisa.

“A Sanofi não é apenas uma empresa farmacêutica, mas também é uma empresa de saúde”, diz Marc Bonnefoi, Chefe do Sanofi R & D para a América do Norte. “O que leva as equipes Sanofi R & D em todo este processo, o que impulsiona toda a empresa para este assunto, é uma paixão voltada para melhorar a vida dos pacientes através de melhores e mais específicas terapias. E se houver uma possibilidade de cura, mesmo que distante, nós a buscaremos.”

Parece tão maravilhoso e sincero,  mas duvido dos motivos só um pouco. Uma verdade indelével é que a indústria farmacêutica é agressiva, possui fins lucrativos e está sempre procurando a próxima grande “droga blockbuster.” O dinheiro pode ser feito a partir de uma cura, mas há sempre a questão da elevação dos custos da pesquisa. Poderia vir uma “decisão empresarial” dizendo não valer a pena prosseguir na  promissora possível cura simplesmente porque a fase de exploração seria tão cara que não seria vantajoso prosseguir nesta busca.

Sendo “incentivados

“Dr. Camillo Ricordi, Diretor Científico e Diretor Acadêmico chefe do Instituto de Pesquisa em Diabetes da  Universidade de Miami, concorda com Kelly de que não há uma “conspiração” relacionada ao desenvolvimento de uma cura para o diabetes. Dr. Camillo Ricordi diz: “O que eu acredito é que o custo de desenvolvimento das drogas, atualmente em bem mais que um bilhão de dólares, e o tempo necessário para trazer uma nova molécula para o mercado (7-9 anos) são tais que qualquer entidade com fins lucrativos deve considerar a sua estratégia de decisões de desenvolvimento e pesquisa, como também a comercialização e outros fatores financeiros”, disse Ricordi.

Dr. Camillo Ricordi

Em um vídeo com o presidente da JDRF, Jeffrey Brewer, ele foi perguntado: “Por que a JDRF trabalha tão estreitamente com a indústria?” Brewer explica que, além de pesquisadores acadêmicos, a indústria tem um papel importante no desenvolvimento para a cura. Brewer é um pouco vago sobre os detalhes, mas ele explica que a JDRF é capaz de incentivar (obviamente, com o dinheiro) as empresas farmacêuticas para trabalhar em projetos que de outra forma não iriam se preocupar.

Kelly e Ricordi, ambos compartilham que é pouco o dinheiro que vai para o desenvolvimento de uma cura da diabetes entre as empresas farmacêuticas, e que ainda esta pesquisa sempre foi muito mais lenta do que o desenvolvimento de novos dispositivos e drogas. Podemos todos concordar que o desenvolvimento de medicamentos e dispositivos são demasiado lentos, então você pode imaginar o quão lenta será uma cura.”Nós estimamos que entre US 3 e U$ 5 bilhões foram gastos pelas indústrias só no ano passado por terapias e tecnologias que nos ajudam a controlar melhor o diabetes, e estima-se que muitas centenas de milhões vão continuar para o desenvolvimento de uma cura”, disse Kelly.

O financiamento sempre foi um fator de influência orientador da criação e aprovação de uma pesquisa. Os cientistas precisam provar porque eles devem continuar recebendo um salário e os dólares para a pesquisa de sua instituição. Muitos desses dólares são provenientes do governo ou de empresas farmacêuticas. É uma rede incrivelmente complicada de interessados e investidores. Ricordi diz que rótulos críticos como pesquisa de cura são vistas como um plano “ambicioso” em que eles têm um “alto risco de fracasso” ou “insuficiente evidência preliminar”. Difícil de vender algo assim, hein?! Enquanto isso, Dr. Ricordi aponta: “Um paciente com diabetes morre a cada 8 segundos”.

FDA como o gargalo?

Mas parece que as prioridades financeiras farmacêuticas não são o único obstáculo. Além dos sistemas extraordinariamente complicados biológicos que os pesquisadores devem compreender e, então, manipular, ainda há outro sistema complicado que temos de superar: o FDA. “Há uma série de regulamentações, barreiras legais e institucionais para o desenvolvimento de curas que agora compõem uma parede formidável para a tradução de descobertas potenciais emergentes da ciência básica para ensaios clínicos e a sua entrega aos pacientes”, explica Dr. Ricordi.

Historicamente, essa mudança ocorreu na década de 1960, após o desenvolvimento da vacina contra a poliomielite, quando o FDA mudou o foco da “segurança” para focar em “eficácia”, explicou Ricordi. “Enquanto os requisitos de eficácia podem atrasar a aprovação do mercado e comercialização, os aspectos que me preocupam mais são aqueles que atrasam ou impedem pesquisas de inovação, tornando-se muito difícil, se não impossível, para o cientista jovem médico tentar realmente curar seus pacientes, procurando uma nova estratégia fora dos limites da “medicina baseada em evidências”, disse Ricordi.

Assim, a “conspiração” real contra uma cura poderia muito bem estar vindo da FDA, que não têm uma participação financeira em manter a existência do diabetes, mas também não têm interesse em ser extremamente avesso ao risco, ou seja sendo extremamente paranoico sobre a aprovação de qualquer coisa que pudesse potencialmente prejudicar as pessoas.

Mas a que custo?

“Quem é responsável para o custo de não fazer nada, ou atrasar a aprovação, ou a imposição de custos insuportáveis que fazem a maioria dos cientistas e entidades de pequeno porte abandonar a esperança e lutar para combater doenças e tentar desenvolver curas?”

- Dr. Camillo Ricordi, sobre o papel da FDA em pesquisar a cura

“A agência reguladora que nasceu justamente para se concentrar na segurança do paciente evoluiu para um aparelho monstro de tal complexidade, e agora impõe requisitos tão demorados e dispendiosos para o desenvolvimento de uma nova entidade molecular ou uma terapia biológica mais moderna. Ninguém pode se dar ao luxo de desenvolver uma cura – ou melhor, muito poucos gigantes multinacionais podem pagar, se isso fosse de seu interesse estratégico”, acrescenta Ricordi.

Abordagens radicais

Conspiracy-Theory-AlertA Associação Americana de Diabetes compartilha de que eles estão incentivando mais pesquisas visando a cura do diabetes agora com seu novo programa “Caminho para Parar de Diabetes”.

“É preciso uma abordagem radical para atrair e reter cientistas brilhantes para o campo e acelerar o progresso da pesquisa, fornecendo os recursos e apoio para a realização de uma ciência transformadora”, disse um representante da ADA através de e-mail. “Programas como esses garantem que uma futura geração de cientistas e médicos estarão mais concentrados em encontrar uma cura para a doença”.

Existem coisas que impedem a cura para a diabetes? Definitivamente. Existem considerações financeiras e regulamentares, e ainda há toda a questão da complexidade do corpo humano. Mas há alguém escondendo a cura para a diabetes? Muito improvável. Isto simplesmente não faz sentido.

O que pretendemos? Manter o financiamento para pesquisadores,  seja para a controversa Dra. Faustman, ou Ricordi e a equipa DRI, ou uma instituição como o JDRF. Todos os caminhos devem ser explorados no interesse de encontrar uma cura indescritível!

No final do dia, nós – as pessoas afetadas pelo diabetes – somos os que irão conduzir o progresso da pesquisa. Nós somos os únicos que continuam a pressionar pelo aumento do financiamento aos Institutos Nacionais de Saúde, vamos levantar dinheiro através de caminhadas e passeios, e iremos fornecer apoio financeiro direto aos nossos pesquisadores escolhidos.

Por fim, acho que a cura virá quase certamente de um esforço colaborativo, que é improvável de ser mantido em segredo por todos os que estão envolvidos. Há muitos homens e mulheres que estiveram trabalhando duro em busca de uma cura, alguns deles por décadas. Alguns podem trabalhar para a indústria farmacêutica, mas muitos outros estão trabalhando incansavelmente em laboratórios menores em todo o país e ao redor do mundo.

Nós nos encontramos com algumas destas equipes de pesquisa e acreditamos que, se os seus resultados apontarem para uma cura, ninguém será capaz de silenciar suas vozes exaltadas!

 

Por AllisonN

http://www.diabetesmine.com/2012/10/is-there-a-conspiracy-preventing-a-diabetes-cure.html

Link permanente para este artigo: http://www.tiabeth.com/tiabeth/wp/artigos/2012/10/20/existe-alguma-conspiracao-para-evitar-a-cura-do-diabetes/