Diabetes e Depressão – Ninguém deveria ter que filtrar seus sentimentos

Ninguém pode prepará-lo para o dia em que você escuta que foi diagnosticado com Diabetes Tipo 1.

Você nunca pensa que isso realmente acontecerá com você; que um dia você vai ficar doente e nunca mais irá melhorar ou curar.

Que todos os dias você será obrigado a dar injeções de insulina sabendo muito bem que você precisa delas para mantê-lo vivo, mas que essas mesmas injeções também podem potencialmente te matar.

Quero dizer, se alguém lhe dissesse agora que você ficou um diabético do tipo 1, como você se sentiria?

Provavelmente está pensando ‘Ei, não é grande coisa!‘ e continuará sua vida normalmente, certo? Mas, você já parou para pensar sobre o aspecto mental de tudo? Como se sentiria então?

Particularmente, quando eu recebi a notícia foi como se todo o meu mundo tivesse virado de cabeça para baixo. Especialmente porque fui diagnosticada aos 30 anos.

Toda a minha vida até esse ponto tinha sido “livre de diabetes” e, de repente, fui informada sobre injeções, insulina, hipoglicemia, hiper, proporções, contagem de carboidratos, ajuste, doses, correções, bolus, basal, etc. A lista era infinita e foi apenas o começo. De repente, a percepção de que minha vida estava mudando para sempre foi petrificante.

Isso realmente afetou minha saúde mental e, para ser honesta, quando fui diagnosticada, não era algo como eu pensava inicialmente; Na verdade não.

Eu já havia sofrido de depressão e ansiedade antes do meu diagnóstico. Até aí eu conseguia administrá-las sob controle até certo ponto sem necessidade de tomar medicamentos. No entanto, as novidades em relação à mudança de vida, teve um efeito traumático em meu estado mental, e pessoalmente, realmente me derrubou.

Isso desencadeou muitos sentimentos e emoções. De repente me senti isolada e sozinha. Era como se estivesse colocando uma barreira; uma muralha de defesa talvez. Estava muito assustada inicialmente para falar com alguém sobre como eu estava me sentindo e, ao poucos, comecei a afastar as pessoas para longe.

2017-10-09-1507557397-9038392-depressionandanxiety.jpg

Eu também não estava tão incomodada com a minha diabetes no momento. Quero dizer, eu sabia o que precisava me cuidar para me manter viva e bem, mas, às vezes, eu simplesmente não queria cuidar. Minha depressão estava me segurando e é realmente difícil tentar controlar todas as três condições ao mesmo tempo; depressão, ansiedade e diabetes tipo 1.

Não é fácil combater com sua própria mente ao lado de uma condição que ameaça a vida, especialmente quando as pessoas e a sociedade estão constantemente tentando dizer-lhe que “saia” e “não coma isso”. etc.

Simplesmente não funciona assim e na verdade não é tão simples.

As pessoas parecem pensar que, quando você é um diabético tipo 1, você só precisa de uma injeção rápida e é isso ou você não pode comer açúcar.

No entanto, há muito mais do que apenas isso.

É difícil tentar explicar algo que as pessoas não podem ver nem entender completamente.  É como se você estivesse bem por fora, mas também invisível ao mesmo tempo.

Não é uma condição fácil de gerenciar e é preciso muita perseverança. Agora imagine isso com depressão e ansiedade também. É como se eu soubesse o que eu precisava fazer para gerenciar tudo, mas minha mente estava assumindo e me impedindo. Eu estava tecnicamente lutando contra mim mesma. Era esgotante, cansativo.

Depressão e diabetes não é um assunto ainda muito discutido. É como se fosse um tabu. Algo que realmente não é mencionado, então quando eu estava lutando inicialmente, senti-me muito sozinha.

Felizmente, há uma série de grupos de apoio que oferecem conselhos e ajuda para aqueles que precisam disso.

Ninguém precisa sofrer em silêncio.

O acesso ao apoio emocional e psicológico é um dos 15 itens essenciais de saúde que a Diabetes UK diz que todas as pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 devem ter se forem avaliadas como necessitadas.

Diabetes UK também tem uma linha de ajuda chamada Careline, que é ótimo para obter ajuda, conselhos e apoio. Seu site é (em inglês): https://www.diabetes.org.uk/careline.

Ao falar mais sobre depressão e diabetes tipo 1, espero que possamos ajudar a aumentar a conscientização.

A saúde mental não tem nada de que se envergonhar. Também não está falando sobre isso abertamente.

Ninguém deveria ter que filtrar seus sentimentos.

Para ler mais sobre minha jornada com Diabetes Tipo 1, ansiedade e depressão, visite:
https://www.facebook.com/The-blog-of-a-Type-1-Diabetic/

 

Zoe Morris – sofre de ansiedade e depressão. 

 

http://www.huffingtonpost.co.uk/


Similar Posts

Topo