Projeto de 2010 para cura do diabetes não conseguiu decolar

A Clínica Mayo juntamente com a Universidade de Minesota (U of M) anunciaram em 2010  que  lançariam um combate total ao diabetes. Como parte da chamada Década do Descobrimento, eles anunciaram que investiriam cerca de US $ 350 milhões ao longo de 10 anos para financiar pesquisas, desenvolver e comercializar novas tecnologias e promover iniciativas de saúde pública para tratar e, potencialmente curar a diabetes.

Houveram outros envolvidos no esforço, incluindo Vance Opperman, presidente e CEO da Key Investments e um dos investidores mais bem sucedidos de Minnesota, e a ex-juíza Kathleen Blatz da Suprema Corte de Minnesota. O Dr. Robert Rizza da Mayo o chamou de “Projeto Manhattan de Minnesota”.

Na minha humilde opinião, devemos sempre ficar céticos quando um projeto é chamado de “Projeto Manhattan” ou um “Tiro à Lua” (Moon Shot), como a campanha de um ano do vice-presidente Joe Biden para encontrar curas para o câncer. Em quase todos os casos, prometem mais do que eles entregam.

De qualquer forma, desde esse anúncio em 2010, tenho dificuldade em encontrar notícias sobre o “projeto Manhattan” para diabetes. Até 2013, o esforço da “Década do Descobrimento” foi concentrado pela Minnesota Biotecnologia e Genômica Médica, que foi formada em 2003, entidade formada para a realização de pesquisas pela Clínica Mayo, U of M e estado de Minesota.

O anúncio em 2013 dizia: “Líderes da Universidade de Minnesota e da Clínica Mayo continuam firmemente empenhados em sua ênfase compartilhada na pesquisa sobre diabetes”, mas que a “visão para a Década foi impactada por restrições orçamentárias significativas, tanto a nível estadual quanto federal, tornando cada vez mais importante concentrar-se na retenção de dólares de pesquisa existentes”.

“À medida que os orçamentos para a pesquisa científica ficavam mais limitados, tornou-se cada vez mais difícil buscar o apoio necessário para a Década do Descobrimento como uma iniciativa autônoma”.

Então, isso foi praticamente o fim do “Projeto Manhattan”, embora certamente haja um trabalho importante que não tenha virado manchetes, e que pretendo catalogar seu progresso se os pesquisadores quiserem compartilhar.

Após consultar a Mayo sobre o atual status do projeto, o consultor de comunicação sênior do World Famous, disse por e-mail: “A Parceria Minnesota continua a fazer pesquisas e estudos relacionados ao diabetes e à obesidade, assim como cada instituição isoladamente. Simplesmente não é chamado por um programa específico. A Clínica Mayo e a Universidade de Minnesota continuam a ser líderes na pesquisa sobre diabetes”.

 

http://www.postbulletin.com/


Similar Posts

Topo