Uma experiência cubana de cuidados com o diabetes

Com uma velocidade surpreendente, observamos o crescimento acelerado do diabetes mellitus, um conjunto de distúrbios metabólicos, cuja principal característica comum é a presença de altas concentrações de glicose no sangue persistentemente ou crônica.

É por isso que inúmeras iniciativas no mundo abordam este problema de saúde, que – de acordo com as previsões da Organização Mundial de Saúde (OMS) – deverá ser a sétima causa de mortalidade no mundo até 2030.

Com diabetes, ocorre com muitas doenças crônicas não transmissíveis: o indivíduo sofre mesmo antes do diagnóstico, disse o Dr. Vladimir Curbelo Serrano, especialista em medicina interna no Hospital Docente Clínico Cirúrgico Salvador Allende na capital cubana.

“Estas são doenças que a arrastam pela vida, e tem uma série de limitações”, ressaltou.

Por essa razão, ele acrescentou, “um dos pilares fundamentais é a educação diabética, que costuma ser o calcanhar de Aquiles no tratamento do diabético”.

De acordo com Curbelo Serrano, o diabético faz seu tratamento com drogas, mas em termos de conhecimento de sua doença há problemas.

“Muitos negligenciam a dieta e pensam que é necessário apenas o consumo das drogas indicadas”, reconheceu.

Nesse sentido, “em 1997 formamos um grupo multidisciplinar em nossa área de atendimento, popularmente conhecido como La Covadonga, que inclui atendimento em três níveis: primário, secundário e terciário”.

Ou seja, “há podólogos, psicólogos, internistas, bem como especialistas em medicina geral abrangente (MGI), angiologia e cirurgia cardiovascular”, acrescentou.

Este programa é intitulado “Melhorar a qualidade de vida de pacientes diabéticos” e visa reduzir complicações e mortalidade.

Para materializá-lo, “os médicos de cuidados primários e secundários, enfermeiros, parentes e pacientes foram treinados”, explicou o especialista.

“Após três anos, começamos a ver uma melhora significativa na diminuição do número de amputações, bem como na mortalidade do diabético”.

Deve reconhecer-se que o declínio nas amputações foi após a introdução de Heberprot-P, uma formulação injetável, prescrita para terapia de ulcera de pé diabético com base em fator de crescimento humano recombinante, para acelerar a cicatrização de úlceras profundas e complexas”.

De acordo com o especialista cubano, a diabetes mellitus é uma doença com um comportamento sistêmico e é um grande fardo, não só para o paciente diabético, mas também para seus parentes e a sociedade como um todo.

“Que o mal é um fardo que laca a capacidade física e psicológica do paciente, ou se torna um indivíduo com uma saúde muito deteriorada do ponto de vista físico e psíquico”, disse ele.

“Esta situação atual da diabetes é alarmante, particularmente nas Américas, favorecida pelos maus modos e estilos de vida da sociedade moderna que impedem uma vida saudável e Cuba não escapa a essa realidade”, concluiu.

A diabetes, segundo a OMS

A OMS estima que 422 milhões de adultos em todo o mundo tinham diabetes em 2014, em comparação com 108 milhões em 1980.

A agência de saúde da ONU notou em seu primeiro “Relatório Mundial sobre Diabetes” que em 2012, a diabetes foi a causa direta de 1,5 milhão de óbitos e outros 2,2 foram atribuídos à hiperglicemia.

O documento do corpo avisa que uma em cada 11 pessoas no mundo já sofre com a desordem.

Também observa que dois terços dos países de baixa renda não possuem sistemas de monitoramento de glicose ou não podem fornecer drogas como insulina ou metformina para a maioria das pessoas.

De acordo com especialistas da OMS, genética, idade e história familiar aumentam o risco de desenvolver diabetes tipo 2 e não podem ser alteradas. No entanto, alguns componentes que também aumentam o risco podem ser prevenidos, como alimentação insalubre e falta de atividade física.

Como parte das ações, eles sugerem consumir alimentos não prejudiciais, exercitar, controlar a glicemia em caso de dúvida e cumprir as indicações dos médicos.

 

Reina Magdariaga Larduet – Jornalista para a redação de Ciência e Tecnologia de Prensa Latina.

 

http://www.prensa-latina.cu/


Similar Posts

Topo