Dieta low carb: entenda o que ela faz com seu corpo

Você já parou para pensar na quantidade de carboidratos que você consome durante o dia?

Para quem não sabe do que estamos falando, esse grupo de alimentos são compostos, em grande parte, pelas massas, que são quando são feitos com farinha branca e açúcar refinado não trazem qualquer benefício ao organismo, além de glicose.

Claro que os carbos são necessários ao corpo, já que são eles que nos fornecessem energia. Mas, como a gente aprende com a dieta low carb, que está ficando cada dia mais famosa na internet e entre a celebridades, a melhor opção é incluir no cardápio do dia a dia os carboidratos complexos, como a batata-doce e o arroz integral, com baixo índice glicêmico, que permite que a glicose seja absorvida em uma velocidade muito mais lenta.

É por isso que a dieta low carb abre verdadeira guerra contra pães, biscoitos, macarrões, bolos e todos os alimentos que não agregam nada à sua saúde.

Quer saber o que acontece quando você começa a substituir esses alimentos gostosos, mas que não ajudam em nada?

Você passa mais tempo saciada e começa a perder peso de uma maneira saudável, especialmente se ingerir juntamente com os carboidratos complexos as quantidades corretas de fibras, vitaminas e, claro, de proteínas.

Equilíbrio é tudo

Mas, engana-se quem pensa que para fazer a dieta low carb é preciso cortar os carboidratos da vida. Ao contrário do que muita gente pensa, não é saudável emagrecer sem consumir esse grupo de alimentos.

Aliás, dietas com consumo diário de “carbos” menor que 40% do cardápio podem trazer consequências graves para a saúde.

Segundo especialistas em nutrição, na low carb o segredo do sucesso é o equilíbrio. Por isso, o prato perfeito nesse tipo de regime exige quantidades controladas de carboidratos e uma ingestão maior, mas selecionada, de gorduras e de proteínas de qualidade.

Quem passa a se alimentar desse forma, experimenta uma alteração menor da insulina, o açúcar presente no sangue, e ajuda na produção do hormônio glucagon, que permite que o organismo utilize a gordura estocada para gerar energia.

Em dietas com alto índice glicêmico, por outro lado, isso não acontece, já que a insulina em excesso inibe a produção do glucagon.

Por que fazer a dieta low carb?

Como tentamos explicar até agora, a dieta low carb melhora não só o físico, mas também a saúde e o funcionamento interno do corpo. Abaixo, você confere mais detalhadamente outros benefícios dessa dieta para a saúde:

1. Previne diabetes

A dieta low carb previne o diabetes tipo 2, que se adquire ao longo da vida. Isso porque, com carboidratos de baixo índice glicêmico, como os permitidos na dieta, é possível controlar a insulina no organismo, deixando o corpo mais resistente a ele. Com o tempo, isso faz com que o corpo precise de quantidades menores desse hormônio para transportar as mesmas quantidade de glicose.

2. Maior saciedade

Carboidratos complexos são ricos em fibras. Isso prolonga o tempo da digestão, faz com que o corpo absorva menos glicose, reduz os picos de insulina e mantém a sensação de saciedade por mais tempo.

3. Queima de gordura

Como já mencionamos, o cardápio da dieta low carb faz com que ocorra a queima do estoque de gordura do corpo. Com isso, é mais fácil perder massa gorda e aumentar a massa magra.

Todo mundo pode fazer a dieta low carb?

Embora seja um ótimo método de emagrecimento e de reeducação alimentar, alguns grupos de pessoas não podem entrar nesse tipo de regime, pelo menos não sem um acompanhamento nutricional e médico. Bons exemplos disso são pessoas com problemas nos rins, no coração, no fígado e até mesmo os diabéticos.

Conforme especialistas, a dieta low carb envolve alguns riscos, caso não seja elaborada corretamente, como a diminuição do metabolismo basal, que pode fazer a perda de peso no futuro muito mais complicada. Isso pode acontecer porque o corpo, se privado à quantidade de carboidratos necessária ao bom funcionamento, passa a usar como combustível os aminoácidos dos músculos, por exemplo.

Isso, sem contar que a falta de carboidratos no organismo pode causar problemas como dores de cabeça, sono excessivo ou insônia, lentidão para agir e pensar, déficit de atenção, oscilação de humor, prisão de ventre, cansaço, falta de disposição e assim por diante.

Mas, outro grupo de alimentos também pode representar um grande perigo à saúde: as proteínas. Se a quantidade consumida for excessiva, a pessoa fica exposta ao um risco maior de desenvolver câncer, diabetes e osteoporose. Isso, sem contar, a sobrecarga sobre os rins, causada pelas quantidades gigantescas de macronutrientes no organismo.

O que comer na dieta low carb?

De forma geral, para ter bons resultados com a dieta low carb, além de ingerir as quantidades corretas de nutrientes, é preciso optar com alimentos naturais. Abaixo estão algumas dicas do que você deve consumir durante esse processo de emagrecimento:

Alimentos mais indicados

1. Verduras e legumes

Dê preferência a vegetais com baixa quantidade de carboidratos, como abobrinha, brócolis, couve-flor, acelga, cogumelos, aipo, tomate cereja, pimentão, couve, agrião, aspargos, berinjela, espinafre, pepino, rúcula e assim por diante.

Abóbora e batata-doce, por exemplo, costumam entrar na dieta, mas precisam ser consumidos com moderação devida à grande quantidade de carboidratos com as quais contam.

2. Frutas

Mais uma vez, alguns tipos de frutas são mais benéficos que outras devida a concentração de carboidratos. Banana, mamão e frutas ricas em frutose, por exemplo, precisam ser consumidas com moderação e, de preferência, junto com uma fonte de fibras, como chia, linhaça e outros tipos de oleaginosas. Em alguns casos, o próprio bagaço, como o das mexericas, ajudam a a reduzir a velocidade com que o corpo vai digerir o carboidrato presente nas frutas.

Por outro lado, abacate, morangos, pêssego, melão e coco são algumas das frutas consideradas low carb.

3. Proteínas

Carnes, peixes, ovos, leite e derivados, soja e quinoa, por exemplo, são consideradas ótimas fontes de proteínas na dieta low carb e auxiliam a fornecer aminoácidos ao corpo, contribuem para as funções estruturais, motoras, metabólicas, na produção de colágeno, na construção das fibras musculares, de hormônios, enzimas e até mesmo na regulação das funções imunológicas do organismo.

Mas, além do consumo moderado e personalizado de acordo com as necessidades de cada um, é preciso dar preferência a proteínas mais magras, como leites desnatados, queijos brancos, peixes, frangos e, no caso da carne bovina, para cortes como patinho, filé mignon e alcatra, por exemplo.

4. Fontes de gorduras

Azeite de oliva extravirgem, oleaginosas e abacate são bons exemplos de fontes de gorduras saudáveis, insaturadas e indicadas na dieta low carb.

Esses alimentos ajudam a prevenir doenças cardiovasculares, contribuem para aumentar o bom colesterol e baixar o ruim e reduz os riscos de infarto ou aterosclerose.

Alimentos que devem ser evitados

1. Proteínas gordas

Embutidos ricos em sódio, bacon, carnes com pele, como a sobrecoxa, gorduras aparentes, como em cortes como cupim e picanha; são alguns tipos de proteínas que devem ser evitadas por quem entra na low carb. Elas são fontes de gordura saturada e não devem ultrapassar 10% das calorias diárias de uma dieta saudável.

2. Fontes de gorduras saturadas

Como já dissemos, a gordura saturada está presente em carnes gordas e em embutidos, mas também pode ser encontrada com abundância em outros tipos de alimentos industrializados.

Biscoitos, mesmo os salgados; salgadinhos e todo o tipo de comida feita a base de óleo de palma ou de gordura hidrogenada estão nessa lista, além de ser um tipo de gordura trans.

Para quem não sabe, essas fontes de gordura aumentam os riscos de sobrepeso, de obesidade e do desenvolvimento de doenças crônicas, como as cardiovasculares.

Cuidado com os alimentos que enganam!

Massas integrais, como os pães e macarrões industrializados são bons exemplos de alimentos que parecem saudáveis, mas que podem sabotar a dieta low carb.

Apesar de conter mais fibras, esse tipo de comida não é low carb, bem como cereais como arroz integral, grão de bico, feijão, lentilhas e assim por diante.

Eles contam com baixo índice glicêmico, proporcionam uma digestão mais lenta, mas são riquíssimos em carboidratos e, por isso, devem ser consumidos com moderação. Então, não se deixe enganar!

 

http://areademulher.r7.com/


Similar Posts

Topo