Saúde ocular vai além de consultas regulares; atenção ao excesso de sal e açúcar

Os olhos precisam de atenção para se manterem sempre saudáveis como qualquer parte do corpo. O que pouca gente sabe, no entanto, é que não bastam as consultas regulares com o oftalmologista para diminuir o risco de desenvolver alterações oculares ao longo do tempo. Ter uma boa alimentação e higiene, bem como abandonar alguns hábitos do dia a dia também beneficiam a visão.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 50 milhões de brasileiros sofrem de algum tipo de distúrbio de visão e 60% dos casos de cegueira e deficiência visual poderiam ser evitados, caso o indivíduo tivesse buscado tratamento a tempo.

“A prevenção e a detecção precoce de quaisquer alterações que exijam tratamento médico são fundamentais. Mas o que vemos são as pessoas procurarem ajuda médica apenas quando sentem diminuição da acuidade visual para longe ou para perto, cansaço e dores de cabeça”, afirma o oftalmologista José Ernesto.

Recentemente divulgada pelo Ministério da Saúde, uma pesquisa Vigitel 2016 alerta para o crescimento da obesidade, hipertensão e diabetes no Brasil. De acordo com oftalmologista Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, o levantamento indica que a população deve estar mais atenta à saúde ocular e fazer exames oftalmológicos anuais. Isso porque estas alterações podem causar graves danos à visão.

O oftalmologista observa ainda que o crescimento da obesidade em 60% nos últimos 10 anos, apontado pela pesquisa, facilita o aparecimento da retinopatia hipertensiva.

Isso porque o excesso de gordura predispõe à hipertensão arterial que, segundo a Vigitel, teve um crescimento de 14% no mesmo período. Queiroz Neto ressalta que a soma da obesidade com a hipertensão arterial eleva o risco de contrair retinopatia hipertensiva.

“A doença é caracterizada pela obstrução dos vasos e artérias da retina, membrana no fundo do olho que grava as imagens transportadas ao cérebro pelo nervo óptico. No início a retinopatia hipertensiva não tem sintomas” afirma.

O exame de fundo de olho pode revelar o estreitamento das artérias da retina antes de surgir qualquer alteração na visão. Os primeiros sinais da retinopatia hipertensiva são visão turva e diminuição do campo visual, mas só aparecem quando já avançou bastante.

Para prevenir a evolução que pode levar à perda da visão, o oftalmologista recomenta acompanhamento oftalmológico anual, manter a pressão arterial sob controle através de atividades físicas, medicamento para hipertensão arterial e consumo moderado de sal.

Atenção ao excesso de sal e açúcar

Queiroz Neto também adverte que o brasileiro consome o dobro de sal por dia que os cinco gramas preconizados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Este consumo, segundo ele, é ainda maior nos meses mais frios. O excesso de sal na dieta aumenta o risco de desenvolver hipertensão arterial e faz a catarata aparecer cada vez mais cedo no país.

A doença, de acordo com o oftalmologista, é a maior causa de cegueira tratável no mundo. Embora não possa ser evitada por também estar relacionada ao envelhecimento, pode ser adiada. O único tratamento é a cirurgia que substitui o cristalino opaco por uma olho.

Outro inimigo do cristalino apontado pelo oftalmologista é o excesso de açúcar. A pesquisa mostra que a diabetes cresceu quase 62% em 10 anos e hoje atinge cerca de 9% dos brasileiros. O médico afirma que a diabetes também acelera a catarata por degenerar as células do cristalino.

Outra doença ocular que geralmente surge após 10 anos de convívio com a hiperglicemia é a retinopatia diabética, importante causa de perda da visão na terceira idade.

Queiroz Neto alerta que alguns alimentos aumentam o risco de obstrução dos vasos e artérias. São os que combinam glicose e frutose, como por exemplo os refrigerantes, sucos industrializados, entre outros.

 

http://www.osaogoncalo.com.br/


Similar Posts

Topo