Seu médico pode prescrever alimentos em vez de remédios

Em sua dieta diária, você inclui nozes, amêndoas e sementes de girassol? E quanto à couve, couve-flor e cereais integrais como trigo mourisco e milheto?

Se não, talvez você precise repensar seus hábitos alimentares. Nova pesquisa publicada no Journal of the American Medical Association em 7 de março de 2017, acha que esses alimentos diminuem o risco de morrer de doenças cardíacas, acidente vascular cerebral e diabetes tipo 2. O estudo, financiado pelos institutos nacionais da saúde e que foi feito em 27 locais através do país, é o estudo mais detalhado já realizado sobre prevenção do diabetes.

De acordo com o estudo, uma em cada duas mortes por doença cardíaca, acidente vascular cerebral ou diabetes tipo 2 estão ligadas à má alimentação – o que significa 1000 mortes por dia. Dieta pobre significa muitos carboidratos, doces e produtos feitos de farinha branca, e não o suficiente de frutas, nozes, grãos integrais e legumes.
Pixabay domínio público

Não é de admirar que alguns médicos estejam se encontrando com seus pacientes na cozinha – como Nicole Farmer, MD, em Maryland, fundadora do programa “Médicos na Cozinha”, onde os médicos se reúnem com os pacientes na cozinha e os instruem sobre a culinária de alimentos saudáveis.

De acordo com o Dr. David Eisenberg da Escola de Saúde Pública de Harvard, há evidências de que alimentos específicos mantêm você saudável e outros alimentos aumentam o risco de contrair câncer, doenças cardíacas e diabetes 2.

Recentemente, a Escola de Saúde Pública de Harvard reuniu-se com o Instituto de Culinária da América para patrocinar um curso intensivo a fim ensinar médicos a elaborar alimentos em sua prática médica.

Os doutores aprenderam receitas saborosas com alimentos que podem impedir e mesmo reverter uma doença séria. Estes incluem receitas para agradar as papilas gustativas e ao mesmo tempo promover a saúde – como “Tahine de salmão em conserva com limões e bagas da alcaparra” e “Mingau de milheto com coalhada de limão e sementes de girassol”.

Cozinhas Saudáveis Vidas Saudáveis é um novo programa para médicos. Surpreendentemente, poucos médicos aprendem sobre como a nutrição afeta a saúde na escola de medicina. Menos de 20 por cento das escolas médicas americanas têm um único curso obrigatório em nutrição. Eisenberg chama isso de “escândalo”.

Pixabay domínio públicoFelizmente, novas pesquisas sobre dieta e doença já estão produzindo algum efeito. A escola médica de Yale agora oferece um curso chamado “Medicina Culinária”.

Concentrar-se na dieta aborda a causa raiz de muitas doenças em vez de mascarar os sintomas com drogas. Em vez prescrever medicamentos para doenças como diabetes 2 e outras doenças auto-imunes, os médicos estão começando a enviar os pacientes para casa com receitas culinárias.

Por exemplo, o endocrinologista da Califórnia, Sarfraz Zaidi, anteriormente professor assistente de medicina na UCLA, “prescreve” dieta para doenças auto-imunes como a doença da tiroide (Graves) e a Tireoidite de Hashimoto. Ele até criou uma receita para fazer um pão com farinha de amêndoa em vez de farinha feita de grão. Zaidi acredita que grãos como trigo, cevada e até mesmo quinoa podem causar uma resposta auto-imune fazendo com que o corpo ataque seus próprios tecidos. Além de grãos, ele acredita que outros alimentos que podem desencadear doenças auto-imunes são o açúcar, álcool e cafeína.

Se a dieta pode ser mais eficaz do que os medicamentos na prevenção e reversão de doenças, por que a maioria das pessoas é resistente em fazer as mudanças dietéticas que seu médico recomenda?

Primeiro, mudar hábitos alimentares é difícil. Quem quer deixar de comer um croissant ou um rocambole em seu café diário? Nossos paladares estão acostumados ao açúcar e à cafeína. Em segundo lugar, estamos acostumados a sair do consultório do nosso médico com uma receita médica e não uma receita para legumes salteados.

Mas quando nossas vidas estão em jogo – doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais, câncer e diabetes que são as principais causas de morte nos Estados Unidos – podemos muito bem ficar motivados a reconsiderar o que comemos.

O médico grego Hipócrates, reconhecido como o fundador da medicina, disse: “Deixe o alimento ser o seu remédio”. Parece que a pesquisa médica moderna pode mais uma vez provar que ele está correto.

 

https://www.psychologytoday.com/


Similar Posts

Topo