O Guia do Diabetes que eu queria que alguém tivesse me dado

Adam Brown, diagnosticado com diabetes em 2001, atua como editor sênior e colunista da DiaTribe e Chefe de Tecnologia de Diabetes e Saúde Digital da empresa Close Concerns. Adam escreve uma aclamada coluna para diaTribe, Adam’s Corner , e fala extensivamente sobre diabetes e doenças crônicas. Seu novo livro, Bright Spots e Landmines, é um dos livros de diabetes  mais sábios  que eu encontrei . É um relato rico, honesto, escrito por pessoa que vive com diabetes e que está cheio de conselhos úteis para ajudá-lo a ter sucesso, não apenas na gestão do diabetes, mas na vida. Se você não tiver uma mentalidade positiva sobre o diabetes quando você começar este livro, você será totalmente alterado até o final.

Abaixo está um trecho de Bright Spots and Landmines, The Diabetes Guide I Wish Someone Had Handed Me por Adam Brown (“Pontos brilhantes e Campos Minados – O Guia de Diabetes que eu gostaria ter recebido de alguém” ).

Eu encontrei pela primeira vez a ideia de “Pontos Brilhantes” no livro magistral sobre mudança de comportamento. É radicalmente diferente do que costumamos fazer em diabetes: vivemos encontrando problemas e nos concentramos no que está errado.

PONTOS BRILHANTES DO DIABETES são comportamentos positivos e escolhas que eu quero replicar o mais rápido possível. São as coisas que eu estou fazendo certo que eu deveria tentar duplicar: o que ajuda a manter o meu nível de açúcar no sangue na faixa ideal, melhora meu estado mental, e se repetido consistentemente, iria melhorar a minha saúde e qualidade de vida. A maior parte deste livro é focada nestes Pontos Brilhantes do Diabetes, como comer menos carboidratos nas refeições (eu sugiro ingerir menos de 30 gramas), lembrando por que manter o açúcar controlado pode beneficiar-me HOJE (eu fico mais feliz, mais produtivo, com um melhor humor e me transformo em uma pessoa mais gentil para os entes queridos), caminhar depois de comer, e dormir, pelo menos, sete horas de sono.

CAMPOS MINADOS DO DIABETES são os erros que faço uma e outra vez que faz com que meu açúcar no sangue saia do controle, arruinando o meu humor, ou tornando a vida mais difícil; Eu quero encontrar maneiras de tropeçar neles com menos freqüência. Eu escrevi pela primeira vez sobre Campos Minados em Diabetes em diaTribe depois que eu notei algo importante: Eu tinha a tendência de cometer os mesmos erros repetidamente, como comer demais para corrigir uma hipoglicemia; Comer pão branco e batatas; E fazer perguntas improdutivas tipo”Como isso é possível?” Ou “Por que eu sou tão ruim nisso?” Esclarecer esses “campos minados” me ajudou a desenvolver um plano de ação: Que salvaguardas posso criar para evitá-las? Como posso construir rotinas que reduzam as chances de tropeçar nelas?

É fácil chegar a uma vaga lista de coisas que eu deveria ou que não deveria fazer, mas Pontos Brilhantes e Campos Minados precisam ser úteis. Isso significa possuir no mínimo três critérios:

  1. ESPECÍFICO E ACIONÁVEL – “Comer saudável” não conta como um alimento Ponto Brilhante – é demasiadamente vago. “Encha metade do seu prato com legumes” é muito mais claro.
  2. REALISTA E SUSTENTÁVEL – “Não comer” não conta como um alimento Ponto Brilhante – é impossível sustentar. “Coma devagar e pare de comer antes de ficar 100% cheio” é mais realista.
  3. ESTAR A MEU CONTROLE E PERMITIR MUDANÇA – “Mau tempo” não é um Campo Minado – está fora do meu controle. Por outro lado, “comer demais após o exercício” é um Campo Minado que é mutável – eu posso encontrar maneiras de evitá-lo.
O autor do livro, Adam Brown

OS PONTOS BRILHANTES SÃO MAIS IMPORTANTES DO QUE OS CAMPOS MINADOS, MAS NÃO PRESTAMOS ATENÇÃO A ELES

Os Pontos Brilhantes superam os Campos Minados neste livro numa proporção maior que 2: 1. Isso é intencional, porque Pontos Brilhantes são tão negligenciados, subvalorizados, mas tiveram um impacto tão grande em mim.

Muitos livros de Psicologia falam sobre o instinto de sobrevivência do cérebro, que observam para as coisas que vão mal e para os problemas. No diabetes, isso inevitavelmente leva a uma auto-conversa negativa: “Eu estraguei tudo”, “Eu sou terrível nisso”, “Não posso fazer nada direito”. Isso também leva ao conselho dos outros: “Não faça isso!”, “Pare de fazer isso!”, “Você está desmotivado”, “Você simplesmente não se importa”, “Você é preguiçoso”.

Depois que minha namorada e eu adotamos nosso cão, Sencha, fiquei surpreso ao ouvir apenas um conselho de treinamento do abrigo: use reforço positivo para incentivar bons comportamentos. Em outras palavras, concentre-se em Pontos Brilhantes – o que o cão está fazendo certo que deve ser reforçado e encorajado? Isto é uma abordagem radicalmente diferente do que costumamos fazer em diabetes, que é concentrar-se demasiado nesses Campos Minados negativos.

A pesquisa da Dra. Barbara Fredrickson (autor de Positividade) sugere que uma relação de 3 emoções positivas para cada 1 emoção negativa é crítica para o crescimento humano. 3: 1! Focalizar em pontos brilhantes é a chave para qualquer um de nós viver bem, e para mim, eles redefiniram minha jornada diária com diabetes.

Isso não quer dizer que devemos todos viver em uma terra de falsa positividade – às vezes a melhor maneira de melhorar é olhar para o que não está funcionando e fazer menos dele. De fato, o Dr. Fredrickson aponta que uma razão de 3 positivos para 0 (zero) negativo não está em contato com a realidade – todos nós enfrentamos desafios. Minha abordagem tem sido encontrar e se concentrar em nos Pontos Brilhantes do Diabetes tanto quanto possível, mas não ignorar os Campos Minados. Este livro é organizado nessa conformidade.

COMO IDENTIFICAR PONTOS BRILHANTES E CAMPOS MINADOS

  • 1. Reflita e questione

Muitas vezes tento me perguntar: “Esse comportamento é um ponto brilhante que eu quero incentivar ou um Campo Minado que eu quero evitar?” Também ajuda a rever o meu dia ou semana: O que fiz de bom para a minha diabetes e como posso fazer mais frequentemente? As perguntas no final de cada capítulo e no final do livro irá ajudá-lo a identificar seus Pontos Brilhantes e Campos Minados.

  • 2. Verifique o açúcar no sangue com mais freqüência (se possível)

É difícil saber o que funciona e o que não funciona – particularmente em relação às refeições e exercício – sem saber como está o nível de glicose no sangue e como ele muda em resposta a diferentes escolhas. Usando um medidor de glicose mais freqüentemente ou utilizar um CGM (Monitor Contínuo de Glicose) ajuda a encontrar relações de causa e efeito, e, portanto, identificar os Pontos Brilhantes e Campos Minados.

“Quando eu faço ____, o que acontece com o meu nível de açúcar no sangue?”

Estou dolorosamente consciente e frustrado pelo fato de que nem todos têm recursos para verificar o seu nível de glicose mais frequentemente. Este livro não assume que a maioria dos leitores estão em um CGM, e eu sei que os governos ou planos de saúde ainda tornam difícil conseguir as tiras reagentes dos glicosímetros em número suficiente. Isso é criminoso, pois os dados de glicose mais freqüentes realmente salvam vidas. Se isso se aplica a você, leia as dicas no capítulo um sobre como obter mais tiras.

  • 3. Peça aos seus entes queridos e amigos para lhe observarem

“Quando eu estou com o açúcar no sangue dentro do intervalo depois de uma refeição, o que eu comi? Que alimentos eu comi que fez meu nível de glicose subir nas alturas após as refeições ou quando eu comecei a ficar temperamental e mal-humorado? O que me impressiona e o que me ajuda a relaxar? O que acontece nos dias em que estou super motivado e cuido da minha diabetes? ”

Explique o conceito de Pontos Brilhantes ou Campos Minados aos entes queridos.

Um download gratuito de Bright Spots e Landmines (Pontos Brilhantes e Campos Minados) está disponível aqui. Também disponível no livro de bolso e no Kindle.

 

Jessica Apple cresceu em Houston. Ela estudou a Bíblia e Estudos Antigos do Oriente Médio na Universidade de Michigan, e concluiu um Mestrado no mesmo campo na Universidade Hebraica. Ela começou a escrever e publicar pequenas histórias enquanto estudante, e continuou a escrever ensaios e ficção enquanto criava seus três filhos (e muitos animais de estimação). Ver blog do autor

 

https://asweetlife.org/


Similar Posts

Topo