Bomba mecânica de insulina: Uma nova ferramenta para o cuidado do diabetes

Diabetes tipo 2 (T2D) é o tipo mais comum de diabetes no mundo. O T2D é tipicamente tratado com mudanças no estilo de vida, tais como aumento da atividade física, uma melhora na dieta e o medicamento oral metformina. Embora a insulina raramente seja a primeira droga prescrita para uma pessoa com DM2, muitas acabam por precisar dela a fim de obter o melhor controle possível da glicose no sangue.

Apesar da promessa de um melhor controle, no entanto, muitas pessoas ficam relutantes em começar a usar insulina. Medo de ganho de peso, baixo nível de glicose no sangue (hipoglicemia), dor de injeção e / ou manipulação agulhas podem estar na raiz desta relutância. Mesmo quando as pessoas com DM2 concordam em tomar insulina, muitas vezes ignoram algumas doses.

As bombas tradicionais de insulina são altamente técnicas e possuem características complexas. Tais características requerem uma educação significativa do paciente e são desnecessárias para muitas pessoas com DM2.

As bombas manuais mais recentes, em contraste, são menos técnicas, por isso, enquanto podem oferecer menos opções de entrega de insulina, elas são mais fáceis de aprender a usar. As bombas mecânicas também são diferentes das bombas tradicionais porque aderem diretamente à pele, portanto não há tubulação, e o adesivo em si é mantido por 24 horas, quando então é descartado.

Como funciona

Existem duas bombas atualmente disponíveis nos Estados Unidos. O Sistema Gerenciador de Insulina OmniPod foi o primeiro a ser comercializado. Mas enquanto ele fornece insulina diretamente, sem tubulação, em outro aspecto é muito parecido com uma bomba de insulina tradicional em que pode ser programado para taxas basais individualizadas, tendo uma calculadora de bolus, armazenando dados de entrega de insulina etc.

Em 2010, a Food and Drug Administration dos EUA aprovou o V-Go da Valeritas, projetado para adultos com diabetes tipo 2 que necessitam de insulina. O V-Go é um dispositivo descartável de administração de insulina que proporciona uma infusão subcutânea contínua de insulina de ação rápida. Ele adere diretamente à pele com um adesivo forte, permitindo-lhe ficar afixado durante 24 horas, mesmo quando molhado.

Prós e contras

Alguns aspectos positivos do dispositivo V-Go incluem a eliminação das múltiplas injeções diárias, a entrega fácil de insulina e a falta de eletrônicos, baterias, conjuntos de infusão ou a necessidade de programar o dispositivo.

Pessoas usando um V-Go têm insulina disponível durante todo o dia sem ter que transportar suprimentos como frascos, seringas, canetas ou agulhas. Muitos usuários a acham mais discreta e confortável de usar.

Usar o V-Go requer apenas uma picada por dia com uma pequena agulha, e pode ser afixado em qualquer lugar que a insulina possa ser injetada ou infundida, como o abdômen ou nas costas dos braços.

Uma limitação que as pessoas que usarem o V-Go podem encontrar é a necessidade de manejo e prática com o dispositivo para se sentir confortável com ele. O V-Go é mais simples do que as bombas tradicionais, mas ainda são necessárias várias etapas para preparar o dispositivo para uso, e os erros são possíveis, como por exemplo, pressionar acidentalmente o “botão de liberação da agulha” que tornará a bomba mecânica inutilizável.

Quem deve utilizar uma bomba mecânica?

Esse tipo de bomba representa uma alternativa para a bomba de insulina tradicional ou seringas e canetas para adultos com diabetes tipo 2 que necessitam de terapia com insulina. Se você está tendo dificuldade em controlar seu nível de glicose no sangue com medicamentos orais, ou se você já foi prescrito insulina, mas é relutante em tomá-la, esta bomba mecânica pode ser uma ferramenta útil para você.

 

http://www.thedailystar.net/


Similar Posts

Topo